Pages

dezembro 27, 2012

O Pecado e a Depravação Total

http://3.bp.blogspot.com/-VXGGP2F3h48/T5C87gVT5zI/AAAAAAAACto/7LQTqzDpOTE/s1600/correntes.jpg

Entre as coisas mal compreendidas hoje, se encontra a questão da doutrina do pecado, porque de maneira geral o ensino de que o homem nasce inerentemente bom, que as pessoas pecam porque a sociedade exerce uma influência sobre elas, que o ambiente é que o corrompe, ao invés do ensino bíblico que diz que é a nossa natureza, então sendo este o entendimento do pecado, surge a pergunta:

Como a sociedade se tornou corrupta? Se as pessoas nascem boas e inocentes , deveríamos esperar que pelo menos uma parte permanecesse boa e impecável, poderíamos encontrar sociedades não corrompidas, nas quais o ambiente seria condicionado pela pureza e não pela pecaminosidade, entretanto as sociedades mais comprometidas com a justiça, descobrimos que elas ainda tem problemas pela culpa do pecado.¹

Isto é ensinado pela bíblia como pecado original, ou queda, onde o ser humano representado em Adão, fez mal uso de sua liberdade, seduzido pela astucia e tentação de satanás, ao desobedecer a ordem e comer o fruto proibido, gerando o pecado. Pecado original não indica primariamente o primeiro ou original pecado cometido por Adão e Eva.

O pecado original refere-se ao resultado do primeiro pecado (a corrupção da raça humana). Pecado original refere-se a condição caída em que nascemos.

Com a queda, o homem trouxe sobre si cegueira, malícia, rebeldia e dureza em seu coração, o coração do homem passou a ser uma fabrica de desejos alternativos em relação a Deus, sexo, sucesso, saúde, carros, beleza, mas Deus não está lá, a universalidade do pecado não é justificado por fatores sociais ou ambientais, antes a causa é a natureza caída do homem.

Temos um grande problema que na atualidade esta palavra pecado ganhou um conceito muito errado, geralmente é relacionada com erros curriqueiros e comuns, como defeitos e escolhas erradas "que pecado esta cor de parede", mas na realidade essa palavra esta relacionada ao mais alto grau de ofensa contra a santidade de Deus, tudo aquilo que é feito não levando Deus em consideração, não levando o padrão perfeito de Deus, é pecado, devemos fazer todas as coisas para sua gloria (1 Co10.31).

Enquanto não se entende que Deus é luz, e não existe trevas nele (1jo 1.5), ou seja, todo tipo de pecado é uma ofensa contra um Deus santo, e este é o ponto central do pecado, pecado é a falta da glória de Deus (Rom3.23), todo pecado que é cometido até mesmo entre os homens, primeiramente é cometido contra Deus.

Somos pecadores, não porque pecamos. Antes pecamos porque somos pecadores. Davi diz: Eu nasci na iniquidade e em pecado me concebeu minha mãe (Sl 51.5).

Tendo entendido o que realmente é o pecado diante de Deus , poderemos dar continuidade da devastação do pecado no ser humano, o pecado afeta sim o ser humano em todas áreas de sua vida, e principalmente em seu relacionamento com Deus, o que chamaremos:

Doutrina da depravação total: (Pecado diz respeito a Deus)

Quando falamos em total, não estamos dizendo que o homem é tão mal quanto poderia ser, mas sim que tudo que se refere a Deus ele está morto, nasce morto , e sem ação do Espirito Santo continua morto, é impossível o homem salvar-se a si mesmo porque ele não é inclinado naturalmente a Deus, pelo contrário ele é inclinado naturalmente para o pecado e está em rebelião contra Deus.

O homem não quer (Jo5.40)e não pode vir a Deus (Jo6.44).

Em rebelião tudo que o homem faz é pecado, nossa incapacidade de se sujeitar a Deus é uma incapacidade total (Rom8.5-9). Existem dois tipos de pessoas, as que nascem da carne (homem natural sem regeneração), e as que nasceram do Espirito (regenerados).

Jonatan Edwards em seu livro, A liberdade da vontade, faz distinção entre moralmente incapaz (pode mas não faz) e fisicamente incapaz ² ,(não pode fazer), é notável quanto o homem não faz o que deveria fazer, o fato de amar o mal , o que é contrário a Deus, não lhe desculpa por fazer o que é abominável a Deus., e por essa incapacidade em agradar a Deus, somos moralmente condenáveis diante de Deus, merecedores de punição.

Todo homem é descendente de Adão e permanece nele, sendo escravo do pecado
até que seja regenerado, o homem não é moralmente neutro, pelo contrário ele é inclinado para o mal, contra Deus, porque está sempre ativo em sua natureza pecaminosa, (Ef 2.3), se deleitando em tudo que é contrário a Deus, mesmo quando faz coisas lícitas, se não leva Deus em consideração continua sendo pecado, (Rom 14.23)
porque quando o homem faz alguma bondade visando sua glorificação ao invés de glorificar o único digno de honra e gloria, Deus. (Salmo115.1)

Mesmo quando objetamos que uma criança não tem pecado e é “inocente”, podemos citar o exemplo de que se você der um brinquedo a uma criança de 2 anos ,logo ela estará dispensando o brinquedo, mesmo que você incentive a brincar, todavia, quando uma outra criança é chamada a brincar com o brinquedo até então dispensado, ela simplesmente passa a querer aquele brinquedo e acha motivos para um verdadeira guerra, porque o coração mesmo de uma criança de colo, não é neutro, podemos constatar facilmente.

Em Cristo o homem sai deste estado depravado e incapaz de ver a beleza de Deus, para ser recapitulado por Cristo, ou seja Cristo já é a primícia da nova criação, ele é o segundo Adão, e todo que é regenerado passa a fazer parte do segundo Adão, logo, Ele é o cabeça e os crentes o corpo. Este é o resumo da doutrina da depravação total do homem.




Fontes:
(1)-R.C. Sproul-verdades essenciais da fé cristã.Ed Cultura Cristã pag.41-42
(2)- fisicamente incapaz, Edwards se refere a incapacidade de um bebe , e também na questão da incapacidade mental.

0 comentários:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.